domingo, 16 de agosto de 2009

Eu te amo (L)

Eu queria poder te contar tudo, poder te explicar tudo o que sinto, tudo o que penso.
Queria dizer que não acredito em uma palavra que você diz, queria dizer que cada vez que vejo uma pista de suas palavras para outras eu choro, eu transformo um simples detalhe num terrivel caminho, com o pior fim.
E o que eu mais queria era conseguir te tratar com a frieza que eu desejo, para te mostrar que eu não preciso de você, para te mostrar que com o tempo você se tornou mais um. Mas quem sou eu para mentir para mim mesma, afinal eu sei que não posso viver sem você e também sei que você pode viver completamente bem sem mim, sei que se eu agir exatamente como quero, você nao virá falar comigo e eu não aguentarei, simplesmente desmontarei em mil pedaços, e como um animal ridiculamente indefeso e completamente sem orgulho, eu irei correndo pra você, dizer que não importa as circunstâncias, eu não sou nada sem ter você, sem ter pelo menos a sua amizade que me conforta, que me alivia de tudo, sua amizade que para mim sempre será mais que uma mera amizade.
Acima de tudo, eu queria poder realmente acreditar no que me dizem, e te esquecer igual me aconselham, queria simplesmente acordar e saber que tudo não passou de um simples sonho, queria acordar e saber que não foi dessa vez que eu achei alguém feito para mim. E se tudo isso não fosse possível, queria ao menos conseguir despertar disso que ocila entre um sonho encantado e o mais tenebroso pesadelo, eu queria lembrar de você como um ser que não existe, como alguém que participou da minha vida por apenas um instante.
Se fosse realmente possível, queria esquecer todas as besteiras que eu disse e queria simplesmente acreditar que as suas palavras tem a mesma intensidade que as minhas, queria acreditar que elas são verdadeiras, e não que eu posso simplesmente ir embora sem deixar nenhuma marca na sua vida, queria acreditar que eu ainda posso viver ao seu lado. Eu simplesmente queria acreditar que eu irei fazer falta, caso eu resolva simplesmente sumir, simplesmente ir embora, e dessa vez de verdade, dessa vez sem voltar atrás, eu queria acreditar que às vezes você lembra de mim, e que quando isso acontece você sorri para o nada, queria acreditar que eu mudei a sua vida, mesmo muito pouco, mas mudei. Queria acreditar que daqui muito tempo algo te faça lembrar de mim, e você lembre nos mínimos detalhes, e não que me confunda com qualquer uma que você conheceu, eu queria acreditar que talvez um dia, quando eu não estiver mais com você, você se arrependa de não ter vindo, e venha recuperar todo o tempo perdido.
Eu queria muito, que você me entendesse, e não que você achasse que eu sou uma criança ridicula que acha que pode ter tudo o que quer, que acha que pode agir do jeito que quiser, eu tenho plena noção que é exatamente isso que passa na sua cabeça quando eu faço birra por alguma coisa que você não pode mudar, e o pior, quando eu faço isso incontáveis vezes, eu queria poder me transformar, e ser como todas as outras que aceitam ser somente outras. Mas talvez, eu te ame de mais para suportar isso, para suportar ser como qualquer uma que passou na sua vida, talvez eu te ame de mais para aceitar que se você não puder me ouvir,irá me esqueçer em 1 ou 2 semanas, talvez eu te ame de mais para entender que tudo passa e que não volta atrás, que o passado simplesmente passou e dele só resta lembranças, lembranças de um passado que jamais se repetirá.
Algo que eu queria mais do que isso, é parar de me confundir nos meus pensamentos, é tomar uma decisão concreta, é criar um plano e segui-lo nos seus mínimos detalhes, exercer tudo o que eu me impuser, exercer corretamente, sem nenhum deslize. Mas eu simplesmente não consigo decidir, não consigo decidir entre te amar ou te odiar, é algo mais complexo do que aparenta ser, pois sei que se decidir te amar, não poderei continuar com isso, terei que suportar ser comum, ser igual todas as que já passaram pela sua vida, terei que forçar um sorriso toda vez que algo me desagradar, afinal eu já esgotei a minha cota de reclamações com você, agora se eu decidir te odiar, sentirei sua falta todos os dias, e algo em mim faltará, eu nunca mais me sentirei completa e as minhas noites se tornarão geladas, será tudo muito frio, até que um dia o pior aconteça, eu provavelmente terei te esquecido e conseguerei tudo o que faltava em mim de volta, estarei livre novamente para amar outro alguém, estarei livre para ser feliz com outro alguém. Apesar de tudo isso eu ainda saberei, que no fundo ninguém nunca te substituirá, ninguém nunca me fará rir como você fez durante tanto tempo, nenhuma lágrima será mais tão verdadeira como as que você inconscientemente causou.
Sem você nada seria real, sim, muito irônico referir a você com a realidade, pois ao que parece aos olhos dos desconhecidos é que tudo não passa de algo virtual, algo que não pode ao menos ser considerado um amor virtual, afinal para isso precisaria de duas pessoas amando, se bem, que em muitas palavras que diziam descrever o amor, só havia um personagem principal, o outro não passava de um coadjuvante, que não sentia nada, que havia poucas falas, mas falas de grande importância, falas que às vezes mudava o rumo de todo o roteiro, um roteiro que aos poucos ia ficando mais emocionante, até que as cortinas se fechavam.
Depois de tudo isso, estou aqui parada, com uma vontade extrema de simplesmente delatar tudo, e fingir que tudo isso nunca passou pela minha cabeça, pois sei que se isso realmente for salvo em algum lugar, algum dia eu teimarei e isso acabará sendo lido por você, e sei que isso acontecerá num futuro próximo, pois eu não resistirei a minha vontade interna de te dizer tudo o que eu sinto, então caso você tenha lido até aqui, te peço sinceras desculpas pela infatilidade disso tudo, te peço desculpas por ter sido tão ridicula ao ponto de escrever tantas linhas sobre algo que com certeza não poderá ser mudado, sobre desejos meus, sobre decisões que eu terei que tomar sozinha, e acima de tudo, te peço desculpas por te amar tanto assim, por te amar mais do que permitido, mais do que você pode suportar.

2 comentários:

laisayohana disse...

caramba O:, ameei esse texto, mt perfeito *-*

Jéssiica disse...

muitoo perfeeito *--*