terça-feira, 19 de janeiro de 2010

Difícil não lembrar

Acordei, me sentia fria, completamente gelada. Mais do que isso, pior do que isso, me sentia vazia. Caminhei até a sacada e vi o que temia, vi nuvens, pedaços brancos no céu que não formavam nada. Sentei no chão, e pensamentos horríveis me invadiram, agora não parecia mais tão errado fingir amar alguém, não soava como enganação, era mais como um esforço para retribuir um sentimento. E afinal, era a minha única solução, já que até hoje não tinha encontrado outra maneira de apagar algumas marcas, mergulhar em um novo amor - mesmo que inventado - parecia a forma mais fácil e eficiente para se esquecer de um antigo. Então parei, e procurei dentro de mim aquele sentimento, procurei todo o meu desejo, carinho ou pelo menos uma simples simpatia por ele, mas não achei, nem por ele nem por ninguém. Talvez não precisasse fingir nada, pelo o que parecia eu estava completamente curada, bom eu estava, até me deparar com o sorriso errado. Na verdade, até perceber que estar curada não era um desejo, nem mesmo uma vontade, eu gostava de tudo que sentia, gostava das lembranças mesmo que doessem, gostava de cada pequeno pedaço dele, eu amava aquilo, por mais que me machucassem, talvez até amasse a dor. Não adiantaria fingir, me sentir vazia doía muito mais, de um jeito ruim, tentar amar outro alguém não me satisfazia. O que me completava era a esperança de encontrá-lo mais uma vez, eram as nossas músicas, lugares, eram as pequenas lembranças, as quais pude encher uma página: os apelidos engraçados, um time de futebol, as brigas idiotas, uma marca de roupa, um lugar, um restaurante, uma loja, uma atitude, uma roupa, um doce, uma escola, um objeto, uma brincadeira boba, um copo, uma festa, um toque, um sentimento[...]

Um comentário:

Nicole f disse...

talvez eu esteja passando por um momento semelhante a esse. e nessas horas não adianta se enganar tentando se apaixonar por alguém, o coração é um bicho muito estranho e teimoso e, no meu caso, cismou e se acostumou a sentir dor e depois ser curado ao recordar de um tempo bom.

enfim, seu texto tá incrível :*