terça-feira, 19 de janeiro de 2010

É pra você.

Estou aqui para lhe escrever uma carta direta, porque eu cansei de ver a minha dona escrevendo milhares de cartas que nunca chegarão à você. Eu cansei de aguentar tudo o que você fez de olhos fechados, cansei de aceitar que ela sofra e se culpe, por causa de um idiota, sim um tremendo idiota. Você não passa disso, um idiota incosequente, então, querido idiota, estou aqui para te dizer algumas coisas, estou aqui para te dizer que a cada mentira que você a fez acreditar eu fui machucado, profundamente machucado. Agora, graças à você eu estou em cacos, despedaçado, esperando que com essa carta eu possa me recuperar. Recuperar incluí fazer que todas aquelas lembranças não me apertem mais, fazer com que todos os meus pedaços se encaixem, incluí fazer a minha dona mais feliz, mais confiante de si, fazer com que ela passe do seu lado e não perceba que é você, o garoto que ela tanto amou. Você sabia disso? Que ela te amou, pouco me importa se ela não disse, afinal, do que vale palavras para você? Se todas que você disse, foram inventadas. Ela te olhou do jeito mais sincero, ela quis te fazer feliz de um jeito irracional, isso não seria o suficiente? Bom, pra você tremendo idiota falso e inconsequente, deveria ser mais do que suficiente, porém para ela, não era. Ela queria te dar tudo, ela rezava por você todas as noites, dava seu nome as estrelas, guardava vaga-lumes em potes e dizia que era a luz do amor, ela nunca deixou um vaga-lume morrer, mas você não ligava, você apareceu e o matou. Querido idiota, você está entendendo? Está absorvendo cada palavra? Você tem capacidade para isso? Eu era perfeito e você me machucou, você magoou quem eu mais amo, quem eu tento proteger. Porém idiota, eu não se você já percebeu, mas a minha dona me tratou de um jeito que me fortaleceu muito, eu costumava ser forte antes de você. Você entende o que você fez? Hoje eu não consigo mais cuidar dela, eu a vejo chorando todas as noites, e sabe o que é pior tremendo idiota? Eu também o amo, eu amo aquele que me tocou, que conseguiu mergulhar fundo, aquele que desvendou os meus mistérios. Amo aquele que me confortou, que me segurou nos braços e apertou forte. Amo aquela sensação sabe, quando você estava com a minha dona, quando você disse cada uma das suas doces mentiras. Bom, por mais que eu não queira, eu amo o seu sorriso, as suas mãos, amo as suas brincadeiras... Mas sabe o que eu não amo? Na verdade o que eu odeio, eu odeio o que você se tornou, ou pior, o que você revelou ser. Talvez você sempre tenha sido esse idiota, um idiota ótimo em encenar. Lembrar disso me machuca, afinal, isso trás tudo aquilo, AQUILO! Você provavelmente não lembra, mas vamos refrescar a sua memória... Aquele primeiro dia em que te vi com outra, nesse dia a gente não tinha nada fora um sonho, mas aquilo doeu, por mais que minha dona não quisesse permitir que doesse, por mais que ela estivesse rindo e brincando, eu sentia a dor. E meu Deus, eu devia ter percebido que você não passava de um tremendo idiota naquele dia! Como eu fui deixar você convencê-la com aquelas palavras ridiculamente mal escolhidas? Se eu tivesse feito isso, talvez não teriam mais "aquilos", essa seria a única dor. Mas como você sabe, não foi bem assim, você não parou por ai! Você mentiu incontáveis vezes, você a enganou com todas as armas que podia, você tentou reverter tudo e machucou mais um pouco, então... você lembra o que você fez não é mesmo? Você lembra que você foi embora! COMO VOCÊ PODE FAZER ISSO?! Bom querido idiota, me sinto muito envergonhado para dizer isso, mas quando você foi embora a dor foi muito maior, deu um vazio enorme, as lembranças não preenchiam tudo, faltava algo, faltavam sorrisos! Faltava vida, faltava você! Eu até pediria que você voltasse, se eu não soubesse que o você por qual eu e minha dona nos apaixonamos, está morto. Completamente morto e enterrado, então me despeço aqui, sabendo que não disse nada com nada! Sabendo que deve ter sido tudo em vão, me desculpe querido idiota, mas eu precisava liberar um pouco da angústia que você deixou aqui dentro. Ah, como eu já ia esquecendo! Que cabeça a minha, quero te pedir para que devolva a minha chave, você trancou dentro de mim muita dor, e impossibilitou que outro alguém entrasse e trouxesse o seu amor para me curar.
Muito obrigada por cada sensação boa, por mais que eu tente negar, elas valeram e ainda valem cada segundo de dor.

De um coração que você desvendou.

Um comentário:

Jéssiica disse...

ameeeei teu texto , você realmente teve que ter muita força pra escrever tudo isso. Parabéns. Levante-se e siga em frente, ocê ainda vai encontrar muitos caras que vao te dar o valor que merece! Um beijoo ;@